domingo, 20 de setembro de 2009



Por que todos os meus sentimentos não chegam sozinhos e intensos como eu mesma sou? Não sei porquê a paixão me veio junto com o medo de te perder. Pois foi no momento que te encontrei que eu te perdi (sem nem mesmo chegar a ter). Sim, até o amor que poderia nascer vem fadado a ser acompanhado dessa rima pobre que se chama dor.
Estou cansada dos meus próprios dramas: eu olho pra trás e procuro os sonhos e tudo o que eu era (ou pensava ser) mas não tenho mais lembranças do passado nem vestígios do que sonhei em me tornar. No fundo, me sinto a adolescente que nunca fui: perdida, sozinha, assustada e sem saber o que fazer; olho pra trás para tentar descobrir o que perdi ou onde perdi e não consigo obter respostas.
Eu perco o sono desenhando seu rosto em minha retina, refaço teus gestos em tatuagem no meu corpo e decoro em versos sua voz a me sussurrar que “o amor não tem pressa, ele pode esperar”. Assim eu ainda penso que em algum lugar do futuro poderemos desfazer esses nós e refazer esse “nós” que nunca chegou a existir. Minha tentativa de me afastar foi em vão, só me fez perceber a falta que você me faz.
A cada partida, meu coração se quebra e eu fico tentando achar respostas catando os pedaços. A cada volta algo se perde no caminho e já não sei mais o que sobrou de mim, mas desisti de querer de volta. Eu só queria dividir essa chuva fina que cai agora com você, mas ela carregou nossos planos sem conseguir apagar o passado. Se junto com a terra que escorre na calçada ela apagasse tudo o que nos impediu de seguir, aí talvez teríamos uma segunda chance. Mas, não posso consertar o passado então eu peço que você me ensine o caminho para o futuro. E que você venha comigo.

3 comentários:

Léo Fardim disse...

"o amor pode esperar" e quando agente menos espera, la esta ele, na sua melhor forma, pois quem apressa o futuro deixa de viver o presente e nao a presente melhor no mundo do que o viver agora!
muito lindo isso aqui, muito...
: )

es ist nicht fragil disse...

Obrigada por me ler.
É sempre bom compartilhar derrotas, muito mais do que vitórias.

Como pode ver, meu blog, na maioria do tempo, é feito de frustrações.

rsrsrs

beijos, thalita.

Fernanda Fassarella disse...

hum... essa espera que a gente não entende! não entende mas precisava! você tem razão: pra quê a pressa?

beijos